Categorias
Domingo 20 de dezembro Oficinas Programação

Oficina de Roteiro para Quadrinhos

Oficina de roteiro para quadrinhos na Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 9h às 9h50

Com:

Pacha Urbano é ilustrador, escritor e roteirista do Rio de Janeiro. É o autor de Filho do Freud, uma série de histórias em quadrinhos que mistura humor e psicanálise, indicada ao Troféu HQ Mix na categoria webtiras por dois anos consecutivos (2013 e 2014). E publicada também em formato impresso, em três volumes: “As Traumáticas Aventuras do Filho do Freud – Quem é esse tal de Édipo?” (2013 – Editora Zás), “As Traumáticas Aventuras do Filho do Freud – Onde está o meu falo?” (2015 – Editora Zás) e “As Traumáticas Aventuras do Filho do Freud – Por que tudo é sexual?” (2017 – Editora Viés, via financiamento coletivo). Também é autor do livro de mini contos “Vidas Despercebidas” (2013 – Editora Verve), e desde 2009 mantém o projeto de intervenção urbana e de distribuição gratuita “Livro Ao Acaso”, também traduzido para o espanhol e o inglês. Foi roteirista na série IcoBitZip da NatGeo Kids e atualmente faz parte da equipe do Copa Studio, como desenhista de cenário da série Irmão do Jorel.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Oficinas Programação

Oficina de Desenho para Quadrinhos

Oficina de desenho para quadrinhos na Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 10h às 10h50

Com:

Deborah Salles é coautora de Viagem em volta de uma ervilha (Editora Veneta, em parceria com Sofia Nestrovski). Como ilustradora, já colaborou com a revista Quatro Cinco Um, Tag Livros e The Intercept Brasil. Fez as identidades visuais do podcast Vinte Mil Léguas e do último disco da banda Quartabê, o que lhe rendeu uma indicação ao 20º Grammy Latino. Foi indicada ao Troféu HQ Mix 2020, na categoria Novo Talento – Desenhista. 

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Projetos de quadrinhos na periferia

Projetos de quadrinhos na periferia

Domingo – 20/12 – 11h

Com:

Letícia Ferreira é comunicadora, jornalista e uma das fundadoras da Gibiteca Balão!, projeto sociocultural independente, situado na região de Itaquera (capital paulista), que, desde 2014, fomenta a cultura e entretenimento à comunidade local, principalmente. Os trabalhos da Gibiteca consistem em realizar e oferecer, gratuitamente, workshops e oficinas, fóruns de discussão, eventos temáticos, sessões de jogos, além de disponibilizar acervo de gibis, livros, jogos, DVDs, entre outras mídias da chamada cultura pop (ou nerd para quem preferir).

Thina Curtis é poeta, quadrinista, palestrante, arte educadora e agitadora cultural. É responsável pelo evento de fanzines e publicações independentes Fanzinada. Colaborou com inúmeras publicações independentes, sites, zines, rádios, revistas, projetos culturais, eventos, ações e intervenções culturais e sociais. Edita a revista Spell Work Magazine desde 2003.

Premiada na 33ª edição do Angelo Agostini na categoria Melhor Fanzine de Quadrinhos. Em 2018, recebeu o Prêmio de Honra ao Mérito da Gibiteka Max Zendron. Em 2018 e 2019, foi premiada no Troféu Arte em Movimento. Foi Indicada nos anos de 2013, 2017, 2018 e 2019 nos Troféus Angelo Agostini e HQ Mix. Desde 2019, é Patrona da “Fanzinoteka Municipal de Barueri Thina Curtis” na Gibiteka Prof° Max Zendrom.

Professor de Arte na rede pública estadual e diretor geral da ação social Prateleira de Quadrinhos, que foi contemplado três vezes nos Programa VAI da Prefeitura de SP. Pós graduando em Direitos Humanos, Responsabilidade Social e Cidadania Global.

Vinícius Marinho Pereira nasceu em São Paulo e reside em Jandira – SP. Formado em Sistemas de Informação e Criador da página Cobertura Nerd. Leitor voraz de quadrinhos, ama assistir filmes e é um frequentador assíduo de eventos nerds e de quadrinhos.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Terror nos quadrinhos

Terror nos Quadrinhos - Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 12h30

Com:

Germana Viana é quadrinista, nasceu em Recife/PE, mas já está em São Paulo tempo o suficiente para ter misturado os dois sotaques. É autora de Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço 1 e 2, As Empoderadas (vencedora do troféu HQMix na categoria WebQuadrinhos), GdM Apresenta: PATRÍCIA e Só Mais Uma História de uma Banda. A autora é a editora e uma das autoras de Gibi de Menininha – Historietas de Terror e Putaria (Vencedor do troféu Angelo Agostini na categoria de Melhor Lançamento de 2018 e do HQ Mix na categoria Melhor Revista Mix de 2018), de Gibi de Menininha – O Faroeste é Mais Embaixo e d’Os Catecismos de Mama Jellybean. Germana é também uma das três partes do selo The Good, The Bad and the Gorgeous, responsável pelo gibi Ménage.

Alex Mir é roteirista e escritor. Já participou de diversas coletâneas e é responsável pelos roteiros da série Orixás (ganhadora do prêmios HQ Mix em 2018 e 2019 e finalista do Angoulême 2020), A mão e a luva em quadrinhos (catálogo de Bologna 2012), Segundo Tempo e da série Valkíria (Prêmio Angelo Agostini 2017).

Cristal Moura é quadrinista, ilustradora, tatuadora, toy maker e professora de Artes Visuais na rede pública de ensino. Participou da coletânea Amor em Quadrinhos (2017), publicada por financiamento coletivo (Catarse), obra organizada e roteirizada por Milena Azevedo, que concorreu ao troféu de melhor publicação alternativa no Festival de Quadrinhos d’Angoulême em 2018. É coautora de Maldito Sertão, adaptação em quadrinhos do livro homônimo (2016), do escritor Márcio Benjamin, feita com o coletivo Quadro 9, e também da HQ Horas Escuras (2018), feita em parceria com Leander Moura, seu esposo. Ambas publicadas dentro do selo escribas ao quadrado da Editora Escribas. Em 2019, assina novamente com o cônjuge, a história Carpe Diem na antologia VHS – Vídeo Horror Show, obra indicada ao III Prêmio ABERST – Associação Brasileira dos Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror e também indicada ao 32º Troféu HQ Mix, na categoria melhor publicação independente em grupo. No mesmo ano assinou a arte da HQ de Sci-Fi Horror, Insonho (independente) com o roteiro novamente do Leander. Em 2020, junto com coletivo Quadro 9 produziu Universo Zero, antologia de Sci-Fi Horror, projeto aprovado em edital público, e por fim, desenhou a HQ Insídia em parceria com a roteirista Larissa Palmieri (em produção).

Leander Moura é quadrinista, ilustrador e graduado em Artes Visuais (UFRN). Ilustrou livros da editora Clock Tower: O Rei de Amarelo, do autor Robert W. Chambers (2015), O Mundo Sombrio – histórias de mitos de Cthulhu, de Robert E. Howard (2016), o conto “Nas Montanhas da Loucura” do livro O Fantástico Mundo de H. P. Lovecraft (2016), A Terra da Noite de William Hope Hodgson (2017), e Além da Imaginação e do Tempo, de Clark Asthon Smith (2020). Participou de várias coletâneas, entre elas Visualizando Citações – vols. 1 e 2, organizadas e roteirizadas por Milena Azevedo (finalistas do Troféu HQ Mix em 2013 e 2014) e a Coletânea Potiguar de Quadrinhos, Edital Moacy Cirne de Quadrinhos, da Funcarte (2015-2016). Com outros autores, criou o coletivo Quadro 9, e produziu Lovenomicon, um tributo a H. P. Lovecraft (2015), a adaptação em quadrinhos do livro Maldito Sertão (2016), do autor Márcio Benjamin, e em 2018, produziu com sua esposa, a quadrinista e artista visual Cristal Moura, a HQ Horas Escuras. Essas três últimas obras publicadas dentro do selo escribas ao quadrado da Editora Escribas. Em 2019, assinou o roteiro da HQ de Sci-Fi Horror, Insonho (independente), com a arte da Cristal, e também segue a mesma parceria criativa na história Carpe Diem para a antologia VHS – Vídeo Horror Show, que reuniu um grande time de quadrinistas de terror, obra indicada ao III Prêmio ABERST – Associação Brasileira dos Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror e também indicada ao 32º Troféu HQ Mix, na categoria melhor publicação independente em grupo. No mesmo ano publicou de forma independente a HQ O Corvo, baseada no poema de Edgar Allan Poe, que ganhou uma edição ampliada pela Editora Diário Macabro, que também foi indicada ao Prêmio ABERST 2020 – Associação Brasileira dos Escritores de Romance Policial, Suspense e Terror e também ao 32º Troféu HQ Mix na categoria melhor adaptação em quadrinhos. Em 2020 junto com coletivo Quadro 9 produziu Universo Zero, antologia de Sci-Fi Horror, projeto aprovado em edital público, ainda participa da Dossiê Bizarro pela editora Skript, e, por fim, fez o álbum Os gatos de Ulthar, adaptação homônima do conto de H. P. Lovecraft, pela editora Diário Macabro.

Dani Lhoret possui graduação em Letras pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2002) e mestrado em Letras (Ciência da Literatura) pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (2004). Atualmente é professora de literatura brasileira no Colégio e Curso Objetivo. Tem experiência na área de Letras, com ênfase em Teoria Literária, atuando principalmente nos seguintes temas: literatura brasileira, teoria da literatura, literatura infantil, literatura portuguesa e Língua Portuguesa. Sua pesquisa de Mestrado está relacionada com o Gótico e a Literatura de Vampiro. Participa do grupo MinasNerds.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Processo criativo na produção de quadrinhos

Processo Criativo na Produção de Quadrinhos - Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 14h

Com:

Heloize Rodrigues tem 22 anos, é paraense e cursa Design Gráfico. Helô é ilustradora, quadrinista e tem como base principal em seus trabalhos a representatividade feminina e a regionalidade. Já esteve em exposições como “Fluxos – 2019 – Vila Container”, “Qual a arte que te escorre? – 2018 – Espaço Art Ato”, “Cartografias da Fé – 2019 – Galeria Theodoro Braga” e outras. Participou das HQs Açaí Pesado 1 e 2, Mágico Se e o Caminho do Saber, além de estar projetando sua própria HQ “HQ do Brega”, prevista para lançamento em 2021.

Paula Limes tem 21 anos e é ilustradora e quadrinista, moradora da periferia de Guarulhos. Formada em Artes Visuais, também fez História em Quadrinhos pela Quanta Academia de Artes e há pouco começou a fazer tirinhas para o Instagram, com alguns pensamentos tanto reflexivos quanto engraçados que lhe vêm à cabeça. Quer mudar um pouco do mundo ao seu redor por meio da arte e compartilhar seus pensamentos, pra encontrar gente que sente o mesmo e também não quer ficar sozinho.

Letícia Moreno, 27 anos, cresceu em São João de Meriti na Baixada Fluminense (RJ), é ilustradora e bacharel em História da Arte pela EBA/UFRJ. Seu trabalho foca na representatividade negra, recusando estereótipos e apresentando um pouco de subjetividade, delicadeza e gentileza às pessoas negras. Trabalha com zines, quadrinhos e ilustrações sempre experimentando cores e texturas.

Ana Paloma é quadrinista e ilustradora nascida em São Luis – MA e é estudante de Ciências Sociais na USP. Começou a se aventurar nos quadrinhos a partir de 2016, publicando histórias do seu cotidiano. Em 2019, publicou seu primeiro quadrinho impresso chamado “Sobrevivendo às Eleições”, financiado por meio do Catarse. No mesmo ano, ainda publicou o zine “Dicas da Pipoca sobre como superar um fora” pela Editora Skript. Atualmente, a artista está publicando a websérie “Vish, tô confinada” e é voluntaria na ONG Politize!, onde ministra oficinas sobre diálogos políticos. Criadora do projeto HQ Preta, sobre quadrinhos feitos por mulheres e pessoas não binárias negras. 

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Quadrinhos Latino Americanos

Quadrinhos Latino Americanos - Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 15h30

(esta mesa será em espanhol)
Com:

Mariela Acevedo é doutora em Ciências Sociais (2019, UBA), licenciada em Ciências da Comunicação (2011, UBA) e professora do Ensino Secundário e Superior em Ciências da Comunicação Social (2016, UBA). Como pesquisadora, desde 2016 é membro do Grupo de Trabalho em Estudos de Gênero e Feminismo do Instituto de Estudos Latino-Americanos e Caribenhos (IEALC-UBA) e, desde 2019, da Rede GT sobre gênero, feminismo e memórias da América Latina e do Caribe (2019 -2022 CLACSO). Atualmente atua como professora de Comunicação de nível Técnico Superior e Universitário e como tutora virtual em cursos de educação sexual e pedagogias para formação de professores do Ministerio de Educación de la Nación. É colunista do jornal VAS desde 2018 e da revista Fierro Digital desde 2020. Escreve artigos acadêmicos e de divulgação sobre gênero e sexualidades para diversos meios de comunicação e publicações. É editora da revista “Clítoris. Historietas y exploraciones varias…”, coordenadora de antologias de quadrinhos feministas (Hotel de las Ideas 2014, 2017) e administradora do site Feminismo Gráfico. Em 2019, coordenou a exposição e o catálogo de autores “Nosotras contamos. Un recorrido por la obra de autoras de Historieta y Humor gráfico de ayer y hoy”, para o qual obteve financiamento do Fundo Metropolitano para as Artes, Ciência e Cultura (GCBA, 2018) e em 2020 participa como curadora para a Argentina do projeto de exposição virtual de autores de histórias em quadrinhos realizada pelo Centro Cultural da Espanha – Córdoba com financiamento da Cooperação Espanhola.

Katherine Supnem, quadrinista independente chilena, auto editora de fanzines e coordenadora do coletivo de quadrinhos feministas Tetastristes e coordenadora do Comiqueras, encontro de mulheres quadrinistas. Licenciada em Filosofia pela Universidade de Santiago do Chile.

Pablo Guerra é roteirista, editor e crítico de quadrinhos. É coautor das novelas gráficas Recetario de sabores lejanos”, “Caminos condenados”, “Dos Aldos” (junto com H. Díaz), “La Palizúa, ustedes no saben cómo ha sido esta lucha” (junto com C. Aguirre) e “Sin marcar palabra, por los caminos de Tulapas” (junto com C. Vieco); e das tiras “Vale” e “su papá” (junto com H. Díaz), “Los perdidos” (junto com F. Neira) e “El Drake” (junto com C. Sánchez y Rohenes). É diretor da Oficina Distrital de Narrativa Gráfica de Idartes. Como estudioso da narrativa gráfica, começou desmascarando os segredos de Batman e investigou o fenômeno da história em quadrinhos e da produção sequencial na América Latina e na Colômbia. É editor chefe do selo Cohete Cómics e faz parte do coletivo de quadrinhos El GloboscopioEm março de 2018, recebeu a medalha de ouro no 11th Japan International Manga Award por “Dos Aldos”.

Gabriela Borges é jornalista, pesquisadora e mestra em antropologia. É criadora e editora-chefe do site Mina de HQ, mídia independente, feminista e com perspectiva de gênero sobre histórias em quadrinhos. Autora de “Encuentre su Clítoris”, lançado em 2020 pela editora Marca de Fantasia, é também editora e co-organizadora da antologia “Quadrinhos Queer”, que será lançada pela Editora Skript.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Quadrinhos a partir de Africa

Quadrinhos a partir de Africa - Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 17h

Com:

Aires Melo é natural da Ilha da Boavista, Cabo Verde. Desde muito pequeno se interessou pela arte de desenhar. É autodidata e vive em Castelo Branco, Portugal. É artista de histórias em quadrinhos, ilustrador, artista plástico e faz isso há mais de 15 anos. Experimental, tenta criar sempre algo novo e interessante em cada trabalho. As técnicas que mais utiliza são o carvão, grafite e a tinta da China (nanquim), que vem sendo cada vez mais predominante em seus trabalhos, tanto de HQs quanto ilustrações e pinturas de quadros.

Malika Dahlil é considerada pioneira no mercado de quadrinhos de Marrocos. Hoje, mora em Manaus, na região Norte do Brasil. Seu envolvimento com as artes começou cedo. Estudou artes plástica na instituição Lycée Mohammed V, em Essaouira. Mais tarde, ingressou na Ecole des Beaux-Arts de Casablanca. Lá, conheceu o artista Jean-François Chanson, que apresentou o mundo dos quadrinhos e a envolveu em projetos de cartunistas europeus, de Marrocos e da África. Seu primeiro trabalho foi publicado em uma história em quadrinhos intitulada “La traversée : dans l’enfer du h’rig”. Mais tarde, publicou Switchers, Jouj Opostos, Le Cauchemar de Mehdi, Lendas e atualmente trabalha como cartinusta no jornal “Em Tempo”,

Tche Gourgel nasceu em 1975, na cidade de Luanda, capital de Angola. Estudou História das Artes, Teoria do Design e Técnicas de Expressão e Prácticas de Representação no Curso de Artes Visuais, em Lisboa, nos anos 1980. Foi quando se encantou pelas histórias em quadrinhos. Ganhou dois Prêmios de Cartoon do Diário de Notícias e fundou o movimento artístico Aurora, que publicava HQs com personagens próprios. Após participar de exposições, fundou a empresa Central de Ideias, que geriu até 2012. Mais tarde, ajudou a criar o Festival Internacional de Banda Desenhada e Animação de Luanda, que já tem 14 anos e venceu o Prêmio Nacional de Cultura e Arte, em 2016, na categoria Artes Plásticas. Participou da revista Barata e do fanzine BDLP, que foi premiado no Festival Internacional de Banda Desenhada , em Amadora (Portugal), em 2013, no HQMix e recebeu menção Honrosa em Angoulême.

Márcio Rodrigues é historiador e pesquisa quadrinhos como fonte histórica. É doutorando em História Social da Amazônia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Mestre em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e licenciado em História pela mesma instituição (2007). Foi entre os anos de 2018 e 2020 professor substituto da graduação em Licenciatura Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), primeira e única graduação do país dedicada inteiramente à temática de África e das relações com o Brasil. Atualmente é pesquisador do Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros, onde idealizou a linha de pesquisa Linguagens e Africanidades. Além de capítulos e participação em livros teóricos sobre quadrinhos, ministra regularmente cursos teóricos sobre os usos e possibilidades dos quadrinhos na pesquisa histórica. Atualmente tem desenvolvido pesquisas e cursos sobre a representação da Amazônia nas HQs e ministrado um curso sobre quadrinhos produzidos por autores e autoras do continente africano.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Quadrinistas brasileiros pelo mundo

Domingo – 20/12 – 18h30

Com:

Juliana Moon é artista digital e trabalha com histórias em quadrinhos, animação e ilustração. Os principais temas de interesse da autora são garotas mágicas, animais, artes marciais, comida e criaturas sobrenaturais.

Ilustradora e quadrinista, trabalha com publicações de vários gêneros: de ficção a material educacional. Integrante do coletivo Netuno Press, pelo qual já fez e publicou quadrinhos com os outros autores do grupo, como Pombos! (2015), Sapacoco (2017) e Como sobreviver à Terra da Luz (2015). Também já publicou em antologias como 24 panels (Image Comics, 2018) e Café Espacial (2017) e seu trabalho mais recente foi como ilustradora da novela gráfica Gringo Love (University of Toronto Press, 2020). Atualmente está produzindo, junto com Zé Wellington, a adaptação para quadrinhos do romance Luzia Homem, de Domingos Olímpio.

Marcelo D’Salete é autor de histórias em quadrinhos, ilustrador e professor. Estudou design gráfico, é graduado em artes plásticas e mestre em História da Arte. Publicou os álbuns “Cumbe” e “Angola Janga – Uma história de Palmares”. No Brasil, “Angola Janga” foi agraciado pelo prêmio Grampo de Ouro 2018, HQ Mix 2018 e Jabuti 2018. A obra foi selecionada pelo PNLD literário de 2019 para o Ensino Médio. O livro foi publicado também na França, Portugal, Áustria, Espanha, Polônia e EUA. Sua obra “Encruzilhada”, relançada em 2016, trata de violência, jovens negros e discriminação em grandes cidades.

José Aguiar é mestre em Tecnologia e Sociedade pela UTFPR e autor premiado de histórias em quadrinhos. Suas obras foram publicadas em Portugal, Alemanha e na França. Foi indicado ao Prêmio Jabuti pelos seus livros “Reisetagebuch – Uma Viagem Ilustrada pela Alemanha”, “Coisas de Adornar Paredes” e “A Infância do Brasil”, sendo que este último recebeu os prêmios Le Blanc e Minuano de Literatura. Também é coautor de “Vigor Mortis Comics”, da adaptação para quadrinhos de “Dom Casmurro” de Machado de Assis, “Revolta de Canudos” e “Ato 5”. Parte de suas tiras de humor estão reunidas na antologia “Malu”, na revista cultural “Curitiba Apresenta” e no jornal Gazeta do Povo. Escreveu o livro “Narrativas Gráficas Curitibanas – 210 anos de charges, cartuns e quadrinhos” e também artigos sobre cultura pop no site “Omelete”jornal Folha de S.Paulo. Fora das páginas, foi curador e idealizador dos premiados eventos culturais Cena HQ e Gibicon – Convenção Internacional de Quadrinhos de Curitiba e do Ciclo de Quadrinhos. Em 2020 lançou a graphic novel CWB. 

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Fechamento do evento

Fechamento do evento Butantã Gibicon

Domingo – 20/12 – 20h

Com:

Foi voluntária na organização da primeira Butantã Gibicon (2019), contribuindo para a criação de parte da programação das mesas, oficinas e formação para professores do evento. Este ano está na organização como Coordenadora da Programação.

É pesquisadora sobre histórias em quadrinhos, educação e gênero desde 2014, mestranda em Ciências da Comunicação com pesquisa sobre a autoria de mulheres nos quadrinhos e licenciada em Educomunicação pela USP. Realiza oficinas e formações com quadrinhos e educomunicação para jovens e professores. Já escreveu nos sites Garotas Nerds e MinasNerds e atualmente é colunista da Mina de HQ.

Thania Thaddeu é jornalista formada pela PUC-Rio, já passou pelo UOL e diversos outros veículos, entre jornais, revistas e sites, especialmente nas pautas sobre tecnologia e comunidades virtuais. Atuou também em setores de Comunicação em empresas, desenvolvendo e fazendo gestão de sites, intranets, campanhas de divulgação e gerenciamentos de redes sociais. Foi colaboradora do grupo MinasNerds de 2016 até julho de 2020. 

Voluntária desde a primeira edição da Butantã Gibicon (2019) – quando foi responsável pelo apoio às oficinas e também conduziu a oficina de “Expressão e Igualdade a partir dos Quadrinhos” – neste ano de 2020, Thania está na equipe de organização do evento, atuando na coordenação de Comunicação e também na produção e apoio às oficinas.

Rapha é formado em Arquitetura e Urbanismo pela FAU UFRJ (com graduação sanduíche na University of Lincoln na Inglaterra), pós-Graduado em Quadrinhos pela École Européenne Superieure de l’Image em Angoulême (França) e Mestre em Mídias Criativas pela ECO UFRJ. É Editor-Chefe do Universo Guará, onde coordena a produção de diversos artistas e títulos, além de organizar a Quarentena Con. É professor da Escola de Comunicação e Design Digital (ECDD) do Instituto Infnet e do seu curso livre de desenho e quadrinhos e narrativas online. É autor de Os Tomos de Tessa (2015), Salto (2017), Silas (2018) e Mesa 44 (2019), além de Travessia (2020) e outros vários projetos menores ou em parceria. Possui um canal no YouTube onde ensina sobre produção de quadrinhos, com dicas e boas práticas, procurando incentivar o debate sobre cena e o mercado nacional de HQs.

Sandro Merg Vaz nasceu em 1971 é empresário da área de TI. Cresceu lendo HQs e foi alfabetizado com a Turma do Pererê, do mestre Ziraldo. Na adolescência roubava os quadrinhos do seu irmão mais velho para ler escondido. Sandman era o seu preferido na época. Muitos anos depois reencontrou as HQs, começando a colecionar. 

Em 2013, através do financiamento coletivo, descobriu os quadrinhos nacionais independentes, que se tornaram sua grande paixão. Até o presente momento apoiou mais de 800 projetos nas plataformas de crowdfunding.
Prestigiou centenas de lançamentos de HQs nacionais bem como frequentou os principais “becos dos artistas” do Brasil, como FIQ, CCXP, Ugrafest, entre outros. 

Em 2019, idealizou e produziu, na Casa de Cultura do Butantã, a 1ª Butantã GibiCon, que contou com 7 mesas, 7 oficinas e quase 300 expositores, entre artistas e editoras, recebendo um público de 4500 pessoas.