Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Quadrinhos Latino Americanos

Domingo – 20/12 – 15h30

(esta mesa será em espanhol)
Com:

Mariela Acevedo é doutora em Ciências Sociais (2019, UBA), licenciada em Ciências da Comunicação (2011, UBA) e professora do Ensino Secundário e Superior em Ciências da Comunicação Social (2016, UBA). Como pesquisadora, desde 2016 é membro do Grupo de Trabalho em Estudos de Gênero e Feminismo do Instituto de Estudos Latino-Americanos e Caribenhos (IEALC-UBA) e, desde 2019, da Rede GT sobre gênero, feminismo e memórias da América Latina e do Caribe (2019 -2022 CLACSO). Atualmente atua como professora de Comunicação de nível Técnico Superior e Universitário e como tutora virtual em cursos de educação sexual e pedagogias para formação de professores do Ministerio de Educación de la Nación. É colunista do jornal VAS desde 2018 e da revista Fierro Digital desde 2020. Escreve artigos acadêmicos e de divulgação sobre gênero e sexualidades para diversos meios de comunicação e publicações. É editora da revista “Clítoris. Historietas y exploraciones varias…”, coordenadora de antologias de quadrinhos feministas (Hotel de las Ideas 2014, 2017) e administradora do site Feminismo Gráfico. Em 2019, coordenou a exposição e o catálogo de autores “Nosotras contamos. Un recorrido por la obra de autoras de Historieta y Humor gráfico de ayer y hoy”, para o qual obteve financiamento do Fundo Metropolitano para as Artes, Ciência e Cultura (GCBA, 2018) e em 2020 participa como curadora para a Argentina do projeto de exposição virtual de autores de histórias em quadrinhos realizada pelo Centro Cultural da Espanha – Córdoba com financiamento da Cooperação Espanhola.

Katherine Supnem, quadrinista independente chilena, auto editora de fanzines e coordenadora do coletivo de quadrinhos feministas Tetastristes e coordenadora do Comiqueras, encontro de mulheres quadrinistas. Licenciada em Filosofia pela Universidade de Santiago do Chile.

Pablo Guerra é roteirista, editor e crítico de quadrinhos. É coautor das novelas gráficas Recetario de sabores lejanos”, “Caminos condenados”, “Dos Aldos” (junto com H. Díaz), “La Palizúa, ustedes no saben cómo ha sido esta lucha” (junto com C. Aguirre) e “Sin marcar palabra, por los caminos de Tulapas” (junto com C. Vieco); e das tiras “Vale” e “su papá” (junto com H. Díaz), “Los perdidos” (junto com F. Neira) e “El Drake” (junto com C. Sánchez y Rohenes). É diretor da Oficina Distrital de Narrativa Gráfica de Idartes. Como estudioso da narrativa gráfica, começou desmascarando os segredos de Batman e investigou o fenômeno da história em quadrinhos e da produção sequencial na América Latina e na Colômbia. É editor chefe do selo Cohete Cómics e faz parte do coletivo de quadrinhos El GloboscopioEm março de 2018, recebeu a medalha de ouro no 11th Japan International Manga Award por “Dos Aldos”.

Gabriela Borges é jornalista, pesquisadora e mestra em antropologia. É criadora e editora-chefe do site Mina de HQ, mídia independente, feminista e com perspectiva de gênero sobre histórias em quadrinhos. Autora de “Encuentre su Clítoris”, lançado em 2020 pela editora Marca de Fantasia, é também editora e co-organizadora da antologia “Quadrinhos Queer”, que será lançada pela Editora Skript.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Quadrinhos a partir de Africa

Domingo – 20/12 – 17h

Com:

Aires Melo é natural da Ilha da Boavista, Cabo Verde. Desde muito pequeno se interessou pela arte de desenhar. É autodidata e vive em Castelo Branco, Portugal. É artista de histórias em quadrinhos, ilustrador, artista plástico e faz isso há mais de 15 anos. Experimental, tenta criar sempre algo novo e interessante em cada trabalho. As técnicas que mais utiliza são o carvão, grafite e a tinta da China (nanquim), que vem sendo cada vez mais predominante em seus trabalhos, tanto de HQs quanto ilustrações e pinturas de quadros.

Malika Dahlil é considerada pioneira no mercado de quadrinhos de Marrocos. Hoje, mora em Manaus, na região Norte do Brasil. Seu envolvimento com as artes começou cedo. Estudou artes plástica na instituição Lycée Mohammed V, em Essaouira. Mais tarde, ingressou na Ecole des Beaux-Arts de Casablanca. Lá, conheceu o artista Jean-François Chanson, que apresentou o mundo dos quadrinhos e a envolveu em projetos de cartunistas europeus, de Marrocos e da África. Seu primeiro trabalho foi publicado em uma história em quadrinhos intitulada “La traversée : dans l’enfer du h’rig”. Mais tarde, publicou Switchers, Jouj Opostos, Le Cauchemar de Mehdi, Lendas e atualmente trabalha como cartinusta no jornal “Em Tempo”,

Tche Gourgel nasceu em 1975, na cidade de Luanda, capital de Angola. Estudou História das Artes, Teoria do Design e Técnicas de Expressão e Prácticas de Representação no Curso de Artes Visuais, em Lisboa, nos anos 1980. Foi quando se encantou pelas histórias em quadrinhos. Ganhou dois Prêmios de Cartoon do Diário de Notícias e fundou o movimento artístico Aurora, que publicava HQs com personagens próprios. Após participar de exposições, fundou a empresa Central de Ideias, que geriu até 2012. Mais tarde, ajudou a criar o Festival Internacional de Banda Desenhada e Animação de Luanda, que já tem 14 anos e venceu o Prêmio Nacional de Cultura e Arte, em 2016, na categoria Artes Plásticas. Participou da revista Barata e do fanzine BDLP, que foi premiado no Festival Internacional de Banda Desenhada , em Amadora (Portugal), em 2013, no HQMix e recebeu menção Honrosa em Angoulême.

Márcio Rodrigues é historiador e pesquisa quadrinhos como fonte histórica. É doutorando em História Social da Amazônia pela Universidade Federal do Pará (UFPA), Mestre em História pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e licenciado em História pela mesma instituição (2007). Foi entre os anos de 2018 e 2020 professor substituto da graduação em Licenciatura Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), primeira e única graduação do país dedicada inteiramente à temática de África e das relações com o Brasil. Atualmente é pesquisador do Interdisciplinar em Estudos Africanos e Afro-Brasileiros, onde idealizou a linha de pesquisa Linguagens e Africanidades. Além de capítulos e participação em livros teóricos sobre quadrinhos, ministra regularmente cursos teóricos sobre os usos e possibilidades dos quadrinhos na pesquisa histórica. Atualmente tem desenvolvido pesquisas e cursos sobre a representação da Amazônia nas HQs e ministrado um curso sobre quadrinhos produzidos por autores e autoras do continente africano.

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Quadrinistas brasileiros pelo mundo

Domingo – 20/12 – 18h30

Com:

Juliana Moon é artista digital e trabalha com histórias em quadrinhos, animação e ilustração. Os principais temas de interesse da autora são garotas mágicas, animais, artes marciais, comida e criaturas sobrenaturais.

Ilustradora e quadrinista, trabalha com publicações de vários gêneros: de ficção a material educacional. Integrante do coletivo Netuno Press, pelo qual já fez e publicou quadrinhos com os outros autores do grupo, como Pombos! (2015), Sapacoco (2017) e Como sobreviver à Terra da Luz (2015). Também já publicou em antologias como 24 panels (Image Comics, 2018) e Café Espacial (2017) e seu trabalho mais recente foi como ilustradora da novela gráfica Gringo Love (University of Toronto Press, 2020). Atualmente está produzindo, junto com Zé Wellington, a adaptação para quadrinhos do romance Luzia Homem, de Domingos Olímpio.

Marcelo D’Salete é autor de histórias em quadrinhos, ilustrador e professor. Estudou design gráfico, é graduado em artes plásticas e mestre em História da Arte. Publicou os álbuns “Cumbe” e “Angola Janga – Uma história de Palmares”. No Brasil, “Angola Janga” foi agraciado pelo prêmio Grampo de Ouro 2018, HQ Mix 2018 e Jabuti 2018. A obra foi selecionada pelo PNLD literário de 2019 para o Ensino Médio. O livro foi publicado também na França, Portugal, Áustria, Espanha, Polônia e EUA. Sua obra “Encruzilhada”, relançada em 2016, trata de violência, jovens negros e discriminação em grandes cidades.

José Aguiar é mestre em Tecnologia e Sociedade pela UTFPR e autor premiado de histórias em quadrinhos. Suas obras foram publicadas em Portugal, Alemanha e na França. Foi indicado ao Prêmio Jabuti pelos seus livros “Reisetagebuch – Uma Viagem Ilustrada pela Alemanha”, “Coisas de Adornar Paredes” e “A Infância do Brasil”, sendo que este último recebeu os prêmios Le Blanc e Minuano de Literatura. Também é coautor de “Vigor Mortis Comics”, da adaptação para quadrinhos de “Dom Casmurro” de Machado de Assis, “Revolta de Canudos” e “Ato 5”. Parte de suas tiras de humor estão reunidas na antologia “Malu”, na revista cultural “Curitiba Apresenta” e no jornal Gazeta do Povo. Escreveu o livro “Narrativas Gráficas Curitibanas – 210 anos de charges, cartuns e quadrinhos” e também artigos sobre cultura pop no site “Omelete”jornal Folha de S.Paulo. Fora das páginas, foi curador e idealizador dos premiados eventos culturais Cena HQ e Gibicon – Convenção Internacional de Quadrinhos de Curitiba e do Ciclo de Quadrinhos. Em 2020 lançou a graphic novel CWB. 

Categorias
Domingo 20 de dezembro Mesas Programação

Fechamento do evento

Domingo – 20/12 – 20h

Com:

Foi voluntária na organização da primeira Butantã Gibicon (2019), contribuindo para a criação de parte da programação das mesas, oficinas e formação para professores do evento. Este ano está na organização como Coordenadora da Programação.

É pesquisadora sobre histórias em quadrinhos, educação e gênero desde 2014, mestranda em Ciências da Comunicação com pesquisa sobre a autoria de mulheres nos quadrinhos e licenciada em Educomunicação pela USP. Realiza oficinas e formações com quadrinhos e educomunicação para jovens e professores. Já escreveu nos sites Garotas Nerds e MinasNerds e atualmente é colunista da Mina de HQ.

André é formado em Educomunicação pela Escola de Comunicações e Artes da USP e chegou para integrar a equipe de comunicação da Butantã Gibi Con.

Rapha é formado em Arquitetura e Urbanismo pela FAU UFRJ (com graduação sanduíche na University of Lincoln na Inglaterra), pós-Graduado em Quadrinhos pela École Européenne Superieure de l’Image em Angoulême (França) e Mestre em Mídias Criativas pela ECO UFRJ. É Editor-Chefe do Universo Guará, onde coordena a produção de diversos artistas e títulos, além de organizar a Quarentena Con. É professor da Escola de Comunicação e Design Digital (ECDD) do Instituto Infnet e do seu curso livre de desenho e quadrinhos e narrativas online. É autor de Os Tomos de Tessa (2015), Salto (2017), Silas (2018) e Mesa 44 (2019), além de Travessia (2020) e outros vários projetos menores ou em parceria. Possui um canal no YouTube onde ensina sobre produção de quadrinhos, com dicas e boas práticas, procurando incentivar o debate sobre cena e o mercado nacional de HQs.

Sandro Merg Vaz nasceu em 1971 é empresário da área de TI. Cresceu lendo HQs e foi alfabetizado com a Turma do Pererê, do mestre Ziraldo. Na adolescência roubava os quadrinhos do seu irmão mais velho para ler escondido. Sandman era o seu preferido na época. Muitos anos depois reencontrou as HQs, começando a colecionar. 

Em 2013, através do financiamento coletivo, descobriu os quadrinhos nacionais independentes, que se tornaram sua grande paixão. Até o presente momento apoiou mais de 800 projetos nas plataformas de crowdfunding.
Prestigiou centenas de lançamentos de HQs nacionais bem como frequentou os principais “becos dos artistas” do Brasil, como FIQ, CCXP, Ugrafest, entre outros. 

Em 2019, idealizou e produziu, na Casa de Cultura do Butantã, a 1ª Butantã GibiCon, que contou com 7 mesas, 7 oficinas e quase 300 expositores, entre artistas e editoras, recebendo um público de 4500 pessoas.